Espondilite Anquilosante - Sintomas, Complicações e Formas de Tratamento

Espondilite Anquilosante – Sintomas, Complicações e Formas de Tratamento

A espondilite anquilosante (EA) é um tipo de artrite que afeta principalmente as costas e os quadris, causando inflamação na coluna vertebral. Isso pode deixar suas costas, caixa torácica e pescoço rígidos e dolorosos.

Neste artigo, compreenda como ocorre a espondilite anquilosante, quais são seus sintomas e complicações, assim como as abordagens terapêuticas utilizadas, para seu tratamento.

Como Ocorre a Espondilite Anquilosante

Em resposta à inflamação, o corpo produz cálcio extra ao redor dos ossos da coluna vertebral. Isso pode fazer com que porções extras de ossos cresçam e faça com que suas costas e pescoço fiquem mais rígidos.

Geralmente acontece no sexo masculino, em pacientes de 40 anos ou mais. O diagnóstico é realizado através dos sintomas de dor e rigidez, radiografias e exames de sangue. Normalmente o paciente é acompanhado também por um reumatologista.

Em casos raros, alguns dos ossos da coluna vertebral podem se unir ou se fundir por causa do cálcio extra. Em casos graves, isso pode alterar a curvatura da coluna vertebral.

Sintomas

Nos estágios iniciais, é provável que a espondilite anquilosante cause:

  • Rigidez e dor na região lombar no início da manhã, que diminui durante o dia ou com atividade;
  • Dor que desperta do sono;
  • Dor em uma ou ambas as nádegas.

Às vezes, a condição pode ser confundida com dor nas costas comum. Mas a dor nas costas comum geralmente ocorre em períodos curtos e dolorosos. E quando causada pela espondilite anquilosante, provavelmente será duradoura.

Você também pode ter dores no pescoço, ombros, quadris ou coxas, que pioram com a inatividade, por exemplo, se você ficar sentado por longos períodos. Algumas pessoas têm dor, rigidez e inchaço nos joelhos ou tornozelos.

A dor e a rigidez podem variar ao longo do tempo. Se a maior parte da coluna vertebral for afetada, poderá causar dificuldades em atividades que envolvam flexões, torções ou giros.

Outros possíveis sintomas incluem:

  • Dor no calcanhar ou no arco do pé;
  • Dor e inchaço no dedo do pé;
  • Sensibilidade na base da pélvis, o que pode tornar desconfortável sentar em uma cadeira dura;
  • Dor ou aperto no peito que surge gradualmente. Isso pode dificultar a respiração profunda. Suas costelas podem parecer muito doloridas e você pode sentir falta de ar após uma atividade suave. Tossir ou espirrar pode causar desconforto ou dor;
  • Inflamação do intestino. Pessoas com espondilite anquilosante podem desenvolver problemas intestinais conhecidos como doença inflamatória intestinal (DII) ou colite;
  • Fadiga, que pode ser causada pela própria condição, bem como por anemia;
  • Inflamação do olho, chamada uveíte ou irite. Os primeiros sinais são geralmente um olho dolorido e às vezes vermelho. Pode ser desconfortável olhar para luzes brilhantes.

Complicações

Se você teve espondilite anquilosante por um longo tempo ou se os ossos das costas se fundiram, você pode apresentar um maior risco fraturas vertebrais. Um osso fraturado na coluna vertebral pode causar danos nos nervos.

Por este motivo, é muito importante que seu médico saiba que você tem espondilite anquilosante.

Se você tiver uma nova dor inexplicável na coluna ou uma nova fraqueza, dormência ou formigamento nos braços ou pernas, é muito importante informar seu médico cirurgião de coluna.

Algumas pessoas com espondilite anquilosante desenvolvem osteoporose.

Tratamento

Vários tratamentos podem tratar a dor e a rigidez. Exercício e/ou fisioterapia e muita atenção à sua postura são igualmente importantes para manter sua coluna móvel e ajudá-lo a viver uma vida normal.

Alguns medicamentos podem ser prescritos para ajudar a reduzir a dor ou limitar os efeitos da doença.

Fisioterapia

A fisioterapia é uma parte muito importante do tratamento da espondilite anquilosante. Um fisioterapeuta pode montar um programa de exercícios para melhorar sua força muscular e ajudá-lo a manter a mobilidade da coluna e de outras articulações.

Geralmente os pacientes apresentam osteoporose pela pouca movimentação, como consequência da dor e da limitação de movimentos.

É especialmente importante exercitar as costas e o pescoço para evitar a rigidez.

Cirurgia

A maioria das pessoas com espondilite anquilosante não precisa de cirurgia, embora algumas delas possam precisar de uma substituição do quadril ou joelho se as articulações forem gravemente afetadas. Isso pode eliminar a dor e melhorar a mobilidade. na coluna, podem ser realizadas cirurgias para a correção da deformidade, geralmente em cifose, com o tronco se voltando para a frente, com dificuldade muitas vezes de enxergar o horizonte à frente. A cirurgia corrige a deformidade, melhorando a qualidade de vida do paciente.

Se você estiver preocupado com alterações na coluna, converse com o seu médico. Qualquer decisão sobre cirurgia é difícil e também deve envolver um cirurgião de coluna experiente. Embora seja raro as pessoas precisarem de cirurgia nas costas por causa da espondilite anquilosante, o procedimento pode melhorar drasticamente a vida de algumas pessoas.

Referência: Mayo Clinic

Compartilhar: