Como Explicar a Dor nas Costas para o Médico?

Como Explicar a Dor nas Costas para o Médico?

Como Explicar a Dor nas Costas. Desde a primeira até a última consulta de um paciente no consultório, o sucesso de qualquer tratamento para dor depende do médico tratar com precisão a causa raiz de sua dor. Mas para que isto aconteça, é importante saber como explicar a dor nas costas para o seu médico, a fim de facilitar o procedimento diagnóstico.

Continue a leitura e saiba quais são os fatores mais importantes para descrever os seus sintomas de forma satisfatória, durante a consulta.

Como Explicar a Dor nas Costas para o Médico?

O profissional de saúde pode ler seu histórico médico e resultados de exames, mas isso é tudo secundário para entender a mecânica da dor de cada paciente. É absolutamente essencial que seus sintomas sejam comunicados ao seu médico de tratamento da dor com a maior precisão possível.

Com base em seus registros médicos, já sabemos a causa da sua dor (lesão ou doença). Nosso objetivo é eliminar ou minimizar esse sintoma para que você possa retomar sua melhor qualidade de vida possível.

Os sintomas de dor são pessoais, únicos – e subjetivos. (O que uma pessoa descreve como “dor insuportável” pode ser considerado “dor muito desagradável” para outra). Alguns pontos que você pode se concentrar são:

Características da Dor

  • Há quanto tempo você sente a dor?
  • Com que frequência e quanto tempo dura?
  • O que aumenta ou diminui sua dor e por quanto tempo?
  • Aonde dói? – Procure identificar quais são os locais onde a dor está presente.

Escala da Dor

A maioria dos médicos usa uma escala simples de dor de 1 a 10 pontos, em que 1 é uma dor leve e 10 é um nível insuportável de dor:

  • Sem dor
    • 0 – Sem dor
  • Dor Gerenciável
    • 1 – A dor é muito leve, quase imperceptível. Na maioria das vezes você não pensa sobre isso.
    • 2 – Dor menor. Irritante e pode ter ocasionais pontadas mais fortes.
    • 3 – A dor é perceptível e distrai, mas você pode se acostumar e se adaptar.
  • Dor moderada – perturba atividades normais de vida diária
    • 4 – Dor moderada. Se você está profundamente envolvido em uma atividade, ela pode ser ignorada por um período de tempo, mas ainda assim é uma distração.
    • 5 – Dor moderadamente forte. Não pode ser ignorada por mais de alguns minutos, mas você ainda consegue trabalhar ou participar de algumas atividades sociais.
    • 6 – Dor moderadamente forte que interfere nas atividades diárias normais. Dificuldade de concentração.
  • Dor severa – incapacitante; debilitante, reduz a qualidade de vida diária, não pode viver de forma independente
    • 7 – Dor intensa que domina os sentidos e limita significativamente sua capacidade de realizar atividades diárias normais ou manter relações sociais. Interfere com o sono.
    • 8 – Dor intensa. A atividade física é severamente limitada. Conversar exige muito esforço.
    • 9 – Dor insuportável. Não é possível conversar. A pessoa passa a maior parte do tempo chorando e / ou gemendo incontrolavelmente.
    • 10 – Dor que nem é possível descrever. A pessoa passa todo o tempo de cama e possivelmente delirante. Mobilidade está totalmente comprometida.

Sensações Associadas à Dor

Na maioria das vezes, os pacientes experimentam uma ou mais sensações juntamente com a dor. Os tipos de dor mais comuns são:

  • Dor aguda
  • Calor extremo ou sensação de queimadura
  • Frio extremo
  • Tecidos inflamados e/ou inchados
  • Sensibilidade ao contato / toque
  • Comichão
  • Dormência, formigamento e agulhadas

Descrever essas sensações para o médico, assim como sua localização, pode lhe ajudar a identificar causas como danos aos nervos, devido a compressões, traumas ou outras causas. Nosso artigo sobre a anatomia da coluna vertebral pode lhe ajudar a identificar a localização de uma dor.

Como o Diário da Dor pode Ajudar

Uma alternativa para melhor descrever seus sintomas ao médico é documentar um ciclo de dor de uma semana antes de sua consulta. Além disso, anote todos os tratamentos ou ações que diminuam ou aumentem o desconforto.

Por exemplo, talvez você tenha descoberto que banhos quentes ou clima frio fazem com que você se sinta pior, mas os exercícios fazem com que a dor seja mais fácil de administrar.

Se você vier preparado com todas essas informações, seu tempo com o médico pode ser melhor gasto com foco nas próximas etapas e em um plano de tratamento, em vez de uma longa revisão das informações fornecidas aqui.

Mais importante, refletir sobre essas questões com antecedência garantirá que seu médico receba informações atualizadas e de maior qualidade.

Como resultado, seu caso pode ser avaliado mais rapidamente e um plano de controle da dor pode ser colocado em ação para começar a reduzir ou eliminar o desconforto o mais rápido e eficaz possível.

Referência: VeryWell Health

Compartilhar: