Disrafismo Espinhal - Saiba Mais

Disrafismo Espinhal – Saiba Mais

O disrafismo espinhal é uma condição na qual a coluna e a medula espinhal do bebê não se formam adequadamente durante a gravidez. A coluna vertebral e a medula são então expostas ao ambiente circundante, dentro ou fora do corpo.

Neste artigo, conheça os tipos desta malformação da coluna vertebral, seu diagnóstico e tratamento.

Em que Consiste o Disrafismo Espinhal

Disrafismo Espinhal é um termo geral que inclui formações incompletas visíveis e invisíveis. Em alguns bebês, a formação incompleta é visível na superfície da pele. Em outros, a formação incompleta não pode ser vista sob a pele.

A condição afeta cerca de 7 em cada 10.000 nascidos vivos. É um pouco mais comum em bebês do sexo feminino do que masculino.

Ainda estamos aprendendo sobre as causas do disrafismo espinhal. Em alguns casos, ele é hereditário.

Tipos de Disrafismo Espinhal

Todas as formas de disrafismo espinhal resultam de um evento no início do desenvolvimento do embrião. Por volta da terceira semana de desenvolvimento, uma camada de células chamada placa neural dobra-se para formar uma estrutura chamada tubo neural.

A parte superior do tubo neural se desenvolve no cérebro, e o resto do tubo neural se desenvolve na coluna e na medula espinhal. O disrafismo espinhal ocorre quando uma seção do tubo neural que se tornará a coluna vertebral e a medula espinhal não se fecha completamente.

Existem diversos tipos de disrafismo espinhal. Veja, a seguir, as mais comuns:

  • Spina bífida oculta: Quando uma ou mais vértebras não estão formadas corretamente, mas a medula espinhal e suas membranas não são afetadas.
  • Defeitos do tubo neural fechado: Quando a medula espinhal apresenta malformações de gordura, osso ou meninges (membranas que revestem o crânio e a medula espinhal).
  • Mielomeningocele: uma condição na qual a medula espinhal e suas membranas não estão contidas na coluna vertebral, mas se projetam em um saco fora do corpo.

Condições que Acompanham o Disrafismo Espinhal

As condições médicas que podem acompanhar o disrafismo espinhal incluem:

  • Malformação de Chiari (uma condição em que o tecido cerebral se estende até o canal espinhal ou topo da medula espinhal);
  • Hidrocefalia (um acúmulo de fluido nos ventrículos, ou cavidades, no cérebro;
  • Convulsões;
  • Problemas do trato urinário (que incluem problemas para esvaziar a bexiga e infecções frequentes do trato urinário;
  • Constipação ou dificuldade para conter as fezes;
  • Problemas ortopédicos (musculares ou ósseos), como dificuldade para andar;
  • Dificuldades de aprendizagem.

Diagnóstico

Por volta da 15ª semana de gestação, um exame de sangue mede os níveis de alfa-fetoproteína (AFP) (uma proteína produzida pelo fígado em desenvolvimento do bebê).

Se os níveis de AFP estiverem mais altos do que o normal, seu médico pode sugerir mais testes. Os testes podem incluir uma amniocentese (quando os médicos testam o líquido amniótico, ou o líquido ao redor do bebê durante a gravidez, para certas condições médicas) e um ultrassom.

Se seu bebê for diagnosticado com mielomeningocele, os médicos também recomendarão uma ressonância magnética fetal. Se houver disrafismo espinhal em sua família, os médicos também recomendarão testes genéticos.

Tratamento

O tratamento depende do tipo de disrafismo espinhal que seu bebê tem e se ele tem outras condições médicas. Normalmente, os bebês são submetidos à cirurgia dentro de 3 dias (72 horas) após o nascimento.

Após a cirurgia, a equipe de cuidados avaliará seu bebê e fará recomendações para cuidados futuros. Isso inclui certificar-se de que seu bebê está conectado a especialistas e tem consultas de acompanhamento com eles.

Mais Informações sobre este assunto na Internet:
Compartilhar: