Hérnia de Disco na Coluna Lombar - Saiba Mais

Hérnia de Disco na Coluna Lombar – Saiba Mais

Hérnia de Disco na Coluna Lombar. A coluna lombar humana evoluiu ao longo de muitos séculos para permitir propriedades de suporte de peso. Os segmentos da coluna lombar são compostos por discos intervertebrais, que são articulações fibrocartilaginosas que apresentam limitações biomecânicas, mas ainda permitem atividades cotidianas.

Existem vários tipos de doença degenerativa do disco, porém uma condição degenerativa comum é a hérnia de disco intervertebral.

Continue a leitura deste artigo para compreender a biomecânica da coluna lombar e como desenvolve-se uma hérnia de disco neste segmento da coluna vertebral.

A Coluna Lombar

A coluna lombar contém um total de 5 discos intervertebrais situados entre os corpos vertebrais. As principais funções desses discos são:

  • Distribuir cargas compressivas colocadas na coluna vertebral, proporcionando propriedades de absorção de choque;
  • Manter a distância entre os corpos vertebrais durante o movimento;
  • Proporcionar flexibilidade à coluna e evitar movimentos excessivos
  • Criar e manter a curva lordótica (em forma de C para trás) da coluna lombar.
Diga Adeus às suas Dores.
Reserve a sua Consulta com Ortopedista.

Os discos são normalmente nomeados com base nas vértebras acima e abaixo dele, por exemplo, o disco L4-L5.

Os Discos Lombares

Os discos intervertebrais lombares têm as seguintes características distintivas:

  • Tamanho. Os discos intervertebrais lombares são mais espessos em comparação com outras regiões da coluna vertebral. Os discos também são mais grossos na frente do que atrás.
  • Altura. Os discos lombares ficam mais curtos durante o dia devido ao peso da parte superior do corpo. Estima-se que dormir por no mínimo 5 horas ajuda os discos a recuperarem sua forma original.
  • Forma. A forma do disco lombar muda com o movimento. Quando a coluna se inclina para a frente, a altura na frente do disco diminui enquanto a altura posterior aumenta. O oposto ocorre ao dobrar para trás.

Os discos são fixados no lugar pelos ligamentos longitudinais anterior (frontal) e posterior (posterior).

Composição

Cada componente do disco intervertebral tem diferentes características biomecânicas. Embora a composição geral dos discos lombares seja semelhante a outros discos da coluna, existem algumas diferenças. O disco lombar normalmente consiste em:

  • Anel fibroso. A casca externa de um disco lombar é chamada de anel fibroso. Essa casca é espessa e consiste em várias camadas de fibras de proteína de colágeno resistentes, em oposição a uma única camada vista nos discos do pescoço. O anel fibroso fornece as principais propriedades de absorção de choque fornecidas pelo disco.
  • Núcleo pulposo. Um tipo mais macio de proteína de colágeno preenche a parte central do disco lombar, chamada núcleo pulposo. O núcleo pulposo contém 70% a 90% de água e atinge seu pico de hidratação entre os 20 e 30 anos, após o que começam a ocorrer desidratação e degeneração.

Com o avanço da idade, os discos podem ficar calcificados (deposição de cálcio) e endurecidos, diminuindo sua flexibilidade.

Placas Terminais Vertebrais

Uma placa terminal vertebral de duas camadas feita de osso cortical e cartilagem hialina é anexada às superfícies superior e inferior do disco e liga o disco ao corpo vertebral. A porção óssea da placa terminal está ligada ao corpo vertebral e ajuda a resistir a cargas compressivas na coluna vertebral. A porção cartilaginosa da placa terminal ajuda a conter o anel fibroso e o núcleo pulposo dentro de suas bordas anatômicas normais.

Um disco em funcionamento saudável, ao sofrer uma carga aplicada, aumenta a pressão no interior do núcleo pulposo, causando tensão nas fibras que suportam as cargas compressivas. A força de pressurização causada pelo núcleo pulposo é então transmitida para as placas terminais vertebrais.

O disco recebe a maior parte de sua nutrição por meio dessas placas terminais, absorvendo fluidos (semelhante à ação de uma esponja) durante os movimentos da coluna vertebral. Forças excessivas e posturas de alta pressão, como ficar em pé e sentado por muito tempo, podem inibir a nutrição do disco.

Embora os discos lombares forneçam flexibilidade significativa e funções de proteção, eles também são altamente suscetíveis a lesões. Em geral, a parte da frente do disco é a mais forte e as costas e os lados são mais fracos e suscetíveis a hérnias e outros distúrbios do disco.

Hérnia de Disco na Coluna Lombar

Uma hérnia ocorre quando o conteúdo do núcleo pulposo se projeta através do anel fibroso, resultando em um deslocamento do disco para fora do espaço intervertebral.

A hérnia de disco é mais frequentemente o resultado de um desgaste gradual relacionado ao envelhecimento chamado degeneração do disco.

Embora uma hérnia de disco lombar possa ser extremamente dolorosa, para a maioria das pessoas os sintomas não são duradouros. Especialistas acreditam que os sintomas de uma hérnia de disco lombar podem se resolver pelas seguintes razões:

  • O corpo ataca a hérnia como um material estranho, diminuindo o tamanho do material herniado e reduzindo a quantidade de proteínas inflamatórias perto da raiz nervosa.
  • Com o tempo, parte da água de dentro do disco é absorvida pelo corpo, fazendo com que o disco encolha. O disco menor tem menos probabilidade de se estender para as raízes nervosas, causando irritação.

Embora uma hérnia de disco lombar geralmente chame a atenção quando se torna dolorosa, pesquisas médicas descobriram que é comum que as pessoas tenham uma hérnia de disco lombar na coluna lombar, mas sem dor associada ou outros sintomas.

É por esta razão que deve-se ter cuidado no diagnóstico para ter certeza de que uma hérnia de disco lombar está causando o problema.

Mais Informações sobre este assunto na Internet:
Acabe Com suas Dores nas Costas!
Agende uma Consulta agora com Cirurgião da Coluna.