Cifose - Conheça esta Deformidade da Coluna Vertebral

Cifose – Conheça esta Deformidade da Coluna Vertebral

A cifose é um distúrbio da coluna vertebral no qual uma curva externa excessiva da coluna resulta em um arredondamento anormal da parte superior das costas. A condição é às vezes conhecida como “corcunda”, especialmente no caso de uma curva severa.

Continue a leitura e compreenda a condição, seus tipos e abordagens terapêuticas.

Em que Consiste a Cifose

A coluna é composta por três segmentos. Quando vistos de lado, esses segmentos formam três curvas naturais. As curvas em forma de “c” do pescoço (coluna cervical) e parte inferior das costas (coluna lombar) são chamadas de lordose. A curva “reversa em forma de c” do tórax (coluna torácica) é denominada cifose.

Essa curvatura natural da coluna é importante para o equilíbrio e nos ajuda a ficar de pé. Se qualquer uma das curvas ficar muito grande ou muito pequena, torna-se difícil ficar em pé e a postura parece anormal.

Embora a coluna torácica deva ter uma cifose natural entre 20 e 45 graus, anormalidades posturais ou estruturais podem resultar em uma curva fora dessa faixa normal. Enquanto o termo médico para uma curva com mais de 50 graus, é na verdade “hipercifose”, o termo “cifose” é comumente usado para se referir à condição clínica de curvatura excessiva na coluna torácica que leva a uma parte superior arredondada.

Conheça os Tipos de Cifose

Nos adultos, 3 formas de cifose são vistas:

  • Cifose pós-traumática – é mais comumente encontrada no meio das costas dos pacientes afetados, frequentemente em pacientes que fraturaram uma ou mais de suas vértebras devido a uma lesão traumática. Também pode ocorrer se houver dano ligamentar grave na coluna associado a uma fratura.
  • Cifose associada à idade – resulta do processo de envelhecimento e, mais especificamente, de condições como osteoporose, fraqueza muscular, doença degenerativa do disco e fraturas da coluna vertebral.
  • Cifose de Scheuermann – condição que se desenvolve na adolescência, mas pode progredir para a idade adulta. Um paciente com essa forma de cifose tem uma coluna rígida devido à forma anormal das vértebras.

Compreenda os Sintomas

Os sinais e sintomas da cifose variam, dependendo da causa e gravidade da curva. Estes podem incluir:

  • Ombros arredondados;
  • Uma corcunda visível nas costas;
  • Dor leve nas costas;
  • Fadiga;
  • Rigidez da coluna;
  • Isquiotibiais mais rígidos e contraídos (os músculos na parte de trás da coxa).

Raramente, ao longo do tempo, as curvas progressivas podem levar a:

  • Fraqueza, dormência ou formigamento nas pernas;
  • Perda de sensibilidade;
  • Falta de ar ou outras dificuldades respiratórias.

Aspectos do Tratamento

O objetivo do tratamento é interromper a progressão da curva e prevenir deformidades. Consideramos alguns fatores para determinar o tratamento para a cifose, incluindo:

  • A idade e a saúde geral do paciente;
  • O tipo de cifose;
  • A gravidade da curva.

Tratamento não Cirúrgico

O tratamento não cirúrgico é recomendado para pacientes com cifose postural. Também é recomendado para pacientes com cifose de Scheuermann que têm curvas de menos de 75 graus.

O tratamento não cirúrgico pode incluir:

  • Observação – Consiste em simplesmente monitorar a curva para garantir que ela não piore, por meio de consultas periódicas e radiografias. A menos que a curva piore ou se torne dolorosa, nenhum outro tratamento pode ser necessário.
  • Fisioterapia – Exercícios específicos podem ajudar a aliviar a dor nas costas e melhorar a postura, fortalecendo os músculos do abdômen e das costas. Certos exercícios também podem ajudar a alongar os isquiotibiais e fortalecer as áreas do corpo que podem ser afetadas pelo desalinhamento da coluna.
  • Antiinflamatórios não-esteróides (AINEs) – AINEs, incluindo aspirina, ibuprofeno e naproxeno, podem ajudar a aliviar a dor nas costas.

Tratamento Cirúrgico

Se essas medidas conservadoras não ajudarem, a cirurgia de coluna pode ser necessária para controlar a dor, melhorar a deformidade ou descomprimir as raízes nervosas. A fusão espinhal posterior e a instrumentação sozinhas são frequentemente usadas para tratar deformidades mais flexíveis. Deformidades fixas geralmente requerem cirurgias mais complexas. Consulte o médico cirurgião de coluna para um melhor diagnóstico e tratamento.

Compartilhar: