Cirurgia de Artrodese da Coluna ou Fusão Espinhal

Cirurgia de Artrodese da Coluna ou Fusão Espinhal

A fusão da coluna vertebral – também conhecida como cirurgia de artrodese da coluna – é um procedimento cirúrgico essencialmente como um processo de “soldagem”.

A ideia básica é fundir duas ou mais vértebras para que elas se curem em um único osso sólido. Isso é feito para eliminar movimentos dolorosos ou restaurar a estabilidade da coluna vertebral.

Continue a leitura e saiba mais sobre este procedimento.

Quando é Indicada a Cirurgia de Artrodese da Coluna

A fusão da coluna vertebral pode ajudar a aliviar os sintomas de muitos problemas nas costas, incluindo:

A fusão medular elimina o movimento entre as vértebras. Também impede o alongamento dos nervos, ligamentos e músculos circundantes. É uma opção quando o movimento é a fonte da dor, como aquele que ocorre em uma parte da coluna vertebral com artrite ou instável devido a lesão, doença ou processo normal de envelhecimento.

Se você tiver dores nas pernas ou nos braços, além de dores nas costas, o cirurgião também pode realizar uma descompressão (laminectomia). Esse procedimento envolve a remoção de ossos e tecidos doentes que pressionam os nervos espinhais.

A fusão retira alguma flexibilidade da coluna, mas a maioria dos casos envolve apenas pequenos segmentos da coluna e não limita muito o movimento. A maior parte dos pacientes não notará uma diminuição na amplitude de movimento.

Em que Consiste a Cirurgia de Artrodese da Coluna

A fusão da coluna lombar e cervical é realizada há décadas. Existem várias técnicas diferentes que podem ser usadas para fundir a coluna. Existem também “abordagens” diferentes que seu cirurgião pode adotar para alcançar sua coluna.

O especialista pode abordar sua coluna pela frente. Isso é chamado de abordagem anterior e requer uma incisão no abdome inferior para uma fusão lombar ou na frente do pescoço para uma fusão cervical.

Técnicas minimamente invasivas também foram desenvolvidas. Isso permite que as fusões sejam executadas com incisões menores.

O procedimento correto para você dependerá da natureza e localização da sua doença.

Enxerto Ósseo

Neste procedimento cirúrgico, usamos algum tipo de material ósseo, chamado enxerto ósseo, para ajudar a promover a fusão.

Um enxerto ósseo é usado para estimular a cicatrização óssea, formando um osso sólido. Em alguns casos, peças maiores e sólidas são usadas para fornecer suporte estrutural imediato às vértebras.

No passado, um enxerto ósseo colhido da pélvis do paciente era a única opção para aumentar o material necessário para a fusão das vértebras.

Uma alternativa à colheita de um enxerto ósseo são as Matrizes ósseas desmineralizadas ou proteínas sintéticas formadoras de ossos.

Seu cirurgião discutirá com você o tipo de material para enxerto ósseo que funcionará melhor para sua condição e procedimento.

Imobilização

Após o enxerto ósseo, as vértebras precisam ser mantidas juntas para ajudar o progresso da fusão. Em muitos casos, os cirurgiões de coluna usam placas, parafusos e hastes para ajudar a segurar a coluna e aumentar a taxa de cura. Com esta estabilidade adicional, a maioria dos pacientes consegue se mover logo após a cirurgia.

Complicações

Como em qualquer cirurgia, há riscos associados à fusão da coluna vertebral. O seu cirurgião de coluna discutirá cada um dos riscos com você antes do procedimento e tomará medidas específicas para evitar possíveis complicações. Os riscos potenciais e complicações da fusão espinhal incluem:

Infecção. Antibióticos são administrados regularmente ao paciente antes, durante e depois da cirurgia para diminuir o risco de infecções.
Sangramento. Uma certa quantidade de sangramento é esperada, mas isso normalmente não é significativo.
Dor no local do enxerto. Uma pequena porcentagem de pacientes pode sentir dor no local do enxerto ósseo.

Recuperação

  • Tratamento da Dor

Após a cirurgia, você sentirá alguma dor. Esta é uma parte natural do processo de cura.

Os medicamentos geralmente são prescritos para alívio da dor a curto prazo após a cirurgia. Muitos tipos de medicamentos estão disponíveis para ajudar a controlar a dor, incluindo opioides, anti-inflamatórios não esteróides (AINEs) e anestésicos locais. O seu médico pode usar uma combinação desses medicamentos para melhorar o alívio da dor e minimizar a necessidade de opioides.

Converse com seu médico se sua dor não começar a melhorar alguns dias após a cirurgia.

  • Reabilitação

O processo de fusão leva tempo. Pode levar vários meses até que o osso fique sólido, embora seu nível de conforto geralmente melhore muito mais rapidamente. Durante esse tempo de cicatrização, a coluna fundida deve ser mantida em alinhamento adequado. Você aprenderá como se mover corretamente, reposicionar, sentar, levantar e andar.

Seus sintomas melhorarão gradualmente, assim como seu nível de atividade. Logo após a cirurgia, seu médico pode recomendar apenas atividades leves, como caminhar. À medida que recupera força, você poderá aumentar lentamente seu nível de atividade. A fisioterapia é normalmente iniciada de 6 semanas a 3 meses após a cirurgia.

Manter um estilo de vida saudável e seguir as instruções do seu médico aumentará muito suas chances de um resultado bem-sucedido.

Referência: Mayo Clinic

Compartilhar: