Existem Diversos Tipos de Espondilolistese - Conheça Sua Classificação

Existem Diversos Tipos de Espondilolistese – Conheça Sua Classificação

Tipos de Espondilolistese. Também conhecida como escorregamento da vértebra, a espondilolistese ocorre quando uma vértebra desliza para frente sobre a vértebra abaixo dela. A origem dos sintomas de um indivíduo com espondilolistese é tão diversa que existem várias classificações para entender estas diferenças.

Continue a leitura e compreenda estas classificações da espondilolistese e aprenda a prevenir esta condição.

Porque a Espondilolistese Acontece

Uma vértebra deslocada pode ocorrer por uma série de razões. No entanto, a coluna lombar (ou parte inferior das costas) corre o maior risco de desenvolver este tipo de lesão. Isso ocorre porque a parte inferior das costas suporta a maior parte do peso do tronco e, portanto, sofre uma quantidade significativa de desgaste. Mas boa parte delas pode ser congênita.

Infelizmente, a espondilolistese pode ser perigosa. Quando uma vértebra sai do alinhamento, a coluna fica instável. Isso pode levar a consequências graves, como deformidade da coluna vertebral ou compressão da medula espinhal. Você pode precisar de uma cirurgia para reparar e realinhar a coluna.

Tipos de Espondilolistese

Um dos métodos classifica a gravidade do deslizamento. A escala indica a porcentagem de deslizamento para frente sobre o corpo vertebral abaixo da vértebra deslocada. A escala funciona da seguinte forma:

  • Grau I: 1 – deslizamento para frente de 25%
  • Grau II: 26 – 50% de deslizamento para frente
  • Grau III: deslizamento para frente de 51 – 75%
  • Grau IV: deslizamento para frente de 76 – 99%
  • Grau V: indica que a vértebra saiu totalmente da coluna vertebral, uma condição muito grave conhecida como espondiloptose.

Dependendo do quadro doloroso causado pelo escorregamento, pode haver necessidade de cirurgia a partir do grau II. Há muitas formas de espondilolistese e, por este motivo, também é útil classificar a espondilolistese de acordo com a causa:

  1. Espondilolistese displásica: também conhecida como espondilolistese congênita, essa forma de escorregamento da vértebra resulta de um defeito que está presente no nascimento. Esse defeito pode enfraquecer as articulações. Quando isso acontece, os movimentos cotidianos, como dobrar ou torcer, podem tirar as vértebras do alinhamento.
  2. Espondilolistese ístmica: esta condição ocorre quando uma fratura por estresse se desenvolve na faixa estreita de osso que conecta nossas vértebras nas articulações facetárias. As crianças normalmente desenvolvem esta condição entre 5 e 7 anos de idade. No entanto, os sintomas não são notados até a idade adulta, quando as articulações continuam a degenerar e resulta em espondilolistese.
  3. Espondilolistese degenerativa: se suas articulações se degeneram com a idade, pode ocorrer esta forma de espondilolistese. Na verdade, é uma consequência bastante comum da osteoartrite. Esse distúrbio pode causar estenose espinhal ou estreitamento do canal espinhal que abriga a medula espinhal. Quando isso ocorre, podem surgir sintomas como fraqueza muscular nos isquiotibiais.
  4. Espondilolistese traumática: fraturas da coluna por lesões repentinas, como acidentes veiculares ou quedas, podem tirar o alinhamento da coluna imediatamente. Quando isso ocorre, nos referimos a esse tipo de vértebra escorregada como traumática. Isso a distingue da espondilolistese ístmica, que pode ocorrer naturalmente durante o curso da infância.
  5. Espondilolistese patológica: esta condição resulta de uma doença subjacente, como a doença de Paget, tumores da coluna vertebral ou osteomielite, entre outras. Cada um desses distúrbios pode enfraquecer os pontos de inserção que mantêm as vértebras unidas. Isso pode resultar em uma lesão súbita na coluna vertebral, como o escorregamento de uma vértebra.
  6. Espondilolistese iatrogênica: ocorre quando um erro cirúrgico enfraquece a integridade estrutural da coluna vertebral, levando à espondilolistese. Por exemplo, durante uma laminectomia, o cirurgião de coluna remove a lâmina, ou parte posterior óssea da coluna, para aliviar a pressão nas raízes nervosas da coluna. São utilizados instrumentos implantáveis para manter a estabilidade da coluna. Se essa etapa não for realizada adequadamente, você poderá desenvolver complicações pós-cirúrgicas, como espondilolistese.

Prevenção

Embora seja impossível prevenir certos tipos de espondilolistese, você pode tomar medidas para proteger suas costas de lesões. Se possível, tente seguir estas orientações:

  • Mantenha um IMC saudável. O excesso de peso na região abdominal causa forte estresse na parte inferior das costas, tornando a espondilolistese mais provável. Além disso, a obesidade pode levar a uma série de outros problemas que estimulam a deterioração das articulações, como a osteoartrite.
  • Coma alimentos saudáveis. Além de evitar os alimentos industrializados, tente comer alimentos que contribuam para a saúde da coluna. Certifique-se de consumir bastante cálcio e vitamina D em sua dieta, pois são nutrientes que contribuem para uma boa saúde óssea.
  • Exercite-se vários dias por semana. Fortaleça os músculos que sustentam suas costas, realizando exercícios de sustentação de peso todas as semanas. Consulte um profissional (personal trainer, fisioterapeuta, etc.) para identificar atividades seguras e alongamentos para as costas.
  • Use técnicas de levantamento adequadas. Sempre levante objetos pesados da forma correta. Escrevemos um artigo inteiro sobre este assunto. Para saber mais, acesse: “Como Levantar Coisas Pesadas Adequadamente“.
  • Evite o fumo: estudos mostram que fumar aumenta a dor nas costas e retarda o processo de cicatrização. Limite o consumo de tabaco.
  • Pratique uma boa higiene do sono. Durma pelo menos 8 horas todas as noites. Compre um colchão que seja firme, mas não duro. Embora isso pareça ser senso comum básico, receber suporte lombar adequado à noite ajuda muito a prevenir lesões durante o dia.

E, quando tudo mais falhar, procure a orientação profissional de um cirurgião de coluna vertebral para tratar a espondilolistese.

Mais Informações sobre este assunto na Internet:
Compartilhar: