Espondilose, Espondilólise, Espondilolistese e Espondilite - Qual a Diferença?

Espondilose, Espondilólise, Espondilolistese e Espondilite – Qual a Diferença?

Diferença entre Espondilose Espondilólise e Espondilite. Ao lidar com problemas da coluna, a terminologia pode ser confusa. Embora alguns pensem que certos termos são intercambiáveis, eles na verdade descrevem diferentes tipos de condições que precisam de cuidados exclusivos.

Continue a leitura e compreenda a diferença entre estes termos e como realizamos o seu tratamento.

Diferença entre Espondilose, Espondilólise, Espondilolistese e Espondilite

Espondilose

A espondilose pode afetar qualquer região da coluna. É mais comum no pescoço e na parte inferior das costas. Esta condição é uma forma de degeneração espinhal que ocorre devido aos efeitos naturais do envelhecimento. À medida que envelhecemos, o desgaste normal, bem como as mudanças celulares, afetam a estrutura da coluna. Como resultado, os tecidos moles que sustentam a coluna – discos, músculos, tendões, etc. – começam a se deteriorar lentamente.

A espondilose, no entanto, não afeta apenas os idosos. Na verdade, os adolescentes podem desenvolver a doença. Aqueles que participam de esportes que exigem hiperextensão repetida da parte inferior das costas estão em risco. Isso inclui ginástica, remo, luta livre e atletismo.

Tratamento

O tratamento da espondilose geralmente envolve abordagens conservadoras, como uso de analgésicos e exercícios de alongamento. Se esses tratamentos não forem eficazes, a cirurgia pode ser uma opção. A cirurgia de descompressão espinhal ou cirurgia de fusão espinhal pode ajudar a aliviar a pressão na área afetada e fornecer a estabilização necessária.

Espondilólise e Espondilolistese

A espondilólise é uma situação em que ocorre uma pequena fratura de uma vértebra da coluna. Ela pode ser assintomática ou dar origem a uma espondilolistese.

Quando a espondilose não é tratada, pode levar à espondilolistese: um deslizamento da vértebra. Quando um osso da coluna vertebral desliza para frente sobre outro, isso causa danos à estrutura da coluna, podendo pressionar um nervo e causar sintomas como dor nas costas e dificuldade para se movimentar.

Em alguns casos, uma fratura por estresse (espondilólise) pode ser a culpada pela espondilolistese. Outras vezes, danos aos discos intervertebrais podem causar essa instabilidade da coluna.

Tratamento

Se um raio-X sugerir espondilolistese, seu médico pode solicitar outros exames de imagem para identificar melhor o problema.

Durante um exame físico, o médico visualiza sua postura, amplitude de movimento e condição física geral. Além disso, o médico testará seus reflexos, bem como a sensação de espasmos musculares e curvas anormais na coluna.

O tratamento dessa condição geralmente começa com medidas conservadoras. Medicamentos analgésicos e anti-inflamatórios podem ser úteis. Além disso, consultar um fisioterapeuta pode ajudar a reduzir a dor e aumentar a mobilidade por meio de exercícios ou manipulação manual.

Uma cinta dorsal também pode ser útil para estabilizar a área. Algumas pessoas também encontram alívio com injeções esteroides epidurais.

Se você sofre de fortes dores ou não respondeu aos tratamentos conservadores, a cirurgia pode ser a próxima opção. A cirurgia de fusão espinhal pode ser um tratamento eficaz. Ao estabilizar a coluna, podemos evitar mais danos estruturais e restaurar a função e a mobilidade.

Espondilite

Problemas na coluna também podem ser causados ​​por artrite. Essa condição, às vezes conhecida como espondiloartropatia, é um tipo de artrite reumática inflamatória. Ao contrário de outras formas de artrite, ela afeta as áreas onde os ligamentos e tendões se fixam aos ossos.

A espondilite geralmente ocorre em adultos jovens entre 17 e 35 anos. Os sintomas incluem dor crônica e rigidez da coluna lombar que piora após um longo período de repouso. Muitos sentem rigidez ao acordar pela manhã ou tarde da noite. Com o tempo, os sintomas podem atingir outras partes do corpo. A rigidez e a dor podem se estender à parte superior da coluna e até mesmo às costelas. Além disso, pode ocorrer inflamação na pele, olhos e trato gastrointestinal.

Existem muitos tipos diferentes de artrite que podem afetar a coluna vertebral. Por exemplo, a artrite psoriática é comum em pessoas que sofrem de psoríase cutânea. Além disso, a artrite reativa ocorre como uma reação a certas bactérias como a clamídia. Outra condição inflamatória, a espondilite anquilosante, pode fazer com que as vértebras se fundam.

Tratamento

Embora não haja cura conhecida para a espondilite, existem algumas maneiras de controlar os sintomas. Por exemplo, medicamentos podem ajudar com dor e rigidez. Exercícios e fisioterapia são uma ótima maneira de melhorar a postura, aumentar a flexibilidade e diminuir a dor.

Aqueles com casos mais graves de espondiloartrite podem se beneficiar da cirurgia. Quando as estruturas da coluna vertebral são afetadas, uma laminectomia ou osteotomia pode ser benéfica. Além disso, danos graves podem exigir uma cirurgia de fusão espinhal onde as vértebras crescem juntas usando um enxerto ósseo e outra instrumentação.

Diferença entre Espondilose Espondilólise e Espondilite e Seus Tratamentos

Se você foi diagnosticado com qualquer uma dessas condições, algo em sua coluna está anormal. Isso pode preocupá-lo. Afinal, a coluna vertebral é uma parte muito importante do corpo.

Mas não se preocupe, algumas dessas condições podem ser tratadas de forma conservadora. A cirurgia pode ser uma opção para casos mais avançados.

Referência: Scoliosis Research Society

Compartilhar: