Cirurgia Endoscópica para Estenose Espinhal

Cirurgia Endoscópica para Estenose Espinhal

Cirurgia Endoscópica para Estenose Espinhal. Quando a coluna se deteriora, o corpo responde acumulando cálcio, o que causa o alargamento dos ossos e o espessamento dos tendões para acomodar esse peso adicional.

Este osso e tendão extras podem, em alguns casos, levar ao estreitamento (estenose) do canal espinhal, que abriga vários nervos. Esses nervos podem então ficar comprimidos.

Uma das técnicas de tratamento que vem se popularizando para a estenose espinhal que continua a manifestar sintomas após o tratamento conservador é a cirurgia endoscópica para estenose espinhal. Continue a leitura deste artigo para saber mais sobre a realização deste procedimento.

Cirurgia Endoscópica para Estenose Espinhal

Na cirurgia endoscópica, o cirurgião insere um endoscópio através de uma incisão de apenas oito milímetros. A lente na ponta do endoscópio é semelhante aos olhos do cirurgião dentro do corpo do paciente, permitindo mais clareza e precisão na detecção de anormalidades.

Diga Adeus às suas Dores.
Reserve a sua Consulta com Ortopedista.

O cirurgião pode então remover apenas a área problemática sem danificar desnecessariamente os músculos e tecidos saudáveis ​​circundantes.

O que é um Endoscópio?

Um endoscópio é uma ferramenta cirúrgica que inclui uma câmera “menor que a ponta do dedo”. É um pequeno tubo com diâmetro de apenas oito milímetros, com uma lente na ponta. A lente é ligeiramente inclinada para melhor visualização dos órgãos circundantes.

Além disso, um endoscópio possui fibra óptica que permite uma iluminação mais brilhante para melhorar a visão e um pequeno tubo de água. Todos os instrumentos cirúrgicos passarão por este minúsculo tubo, o que significa que a incisão necessária terá apenas oito milímetros de largura.

Indicações da Cirurgia Endoscópica para Estenose Espinhal

Geralmente, as indicações para uma cirurgia na coluna, incluindo a técnica endoscópica, são:

  • Tratamento malsucedido por métodos alternativos;
  • Dor crônica;
  • Fraqueza evidente nos membros;
  • Incapacidade de controlar a bexiga e os intestinos.

Vantagens da Cirurgia Endoscópica

As evidências que apóiam a Cirurgia Endoscópica como alternativa a opções cirúrgicas mais invasivas estão crescendo continuamente. Dentre as vantagens da cirurgia endoscópica para estenose espinhal, podemos destacar:

  • Local de incisão menor;
  • Menos dor da cirurgia;
  • Baixo risco de infecção;
  • Menos dano ao tecido saudável ao redor do local cirúrgico;
  • Recuperação mais rápida;
  • O paciente é capaz de voltar para casa dentro de 24 horas.

A Relevância da Cirurgia Endoscópica para Estenose Espinhal

A estenose espinhal é uma condição crônica e debilitante que afeta até 9,3% das pessoas, mais comumente na sexta ou sétima década de vida.

Esses pacientes são frequentemente afetados por sintomas relacionados à claudicação neurogênica, que geralmente aparecem após caminhar distâncias curtas (50 – 150 metros) na forma de dor intensa em uma ou ambas as pernas. Essa dor também é conhecida como claudicação intermitente. Para aliviar a dor nas pernas, os pacientes costumam sentar ou inclinar-se para a frente, flexionando as costas.

Podemos usar uma variedade de intervenções para ajudar a tratar a dor, incluindo medicamentos, fisioterapia e injeções epidurais de esteróides. Se essas intervenções não forem capazes de fornecer alívio duradouro, esses pacientes geralmente recebem a opção de encaminhamento para cirurgia da coluna.

A intervenção cirúrgica para estenose espinhal tradicionalmente inclui descompressão por tecidos moles e dissecção/redução de volume do disco intervertebral e remoção cirúrgica de estruturas ósseas. A longo prazo, os pacientes podem desenvolver desestabilização da articulação facetária e da coluna, necessitando de mais cirurgias, e pode haver um processo de recuperação prolongado.

Por este motivo, a cirurgia endoscópica da coluna é uma alternativa emergente desenvolvida para atender essa população. Graças aos avanços na tecnologia cirúrgica, a descompressão pode agora ser realizada por via endoscópica para estenose do canal vertebral através da janela interlaminar (óssea) do nível afetado. Esta nova técnica permite a remoção de estruturas ósseas e tecidos moles que comprimem os nervos através de uma incisão na pele com menos de 1 cm de comprimento.

Se a medicação e a fisioterapia regular não aliviarem os sintomas da estenose do canal vertebral, converse com o seu médico cirurgião de coluna sobre esta possibilidade de tratamento.

Mais informações sobre este assunto na Internet:
Diga Adeus às suas Dores.
Reserve a sua Consulta com Ortopedista.