Hérnia de Disco – Como tratar?

Hérnia de Disco – Como tratar?

Hérnia de disco – Como Tratar? A Hérnia de Disco é uma substância cartilaginosa entre os Corpos Vertebrais responsável pela absorção do impacto causado pelo movimento do organismo, sua Consistência Assemelha-se à Borracha.

Hérnia de disco – Como Tratar?

Sua parte mais periférica é chamada de ânulo fibroso, a mais resistente e mais central é chamada de núcleo pulposo. A causa exata da Hérnia de Disco é muito Difícil de ser determinada, mas pode estar relacionada com

  • Traumatismos,
    • O traumatismo (do grego traûma: “ferida”) é uma lesão ou ferida mais ou menos extensa, produzida por ação violenta, de natureza física ou química, externa ao organismo. O termo “traumatismo” refere-se às consequências locais e gerais do trauma para a estrutura e o funcionamento do organismo.

  • Sedentarismo,
    • O que é Sedentarismo? O Sedentarismo: É definido como a falta, ausência ou diminuição de atividades físicas ou esportivas. Considerada como a doença do século, está associada ao comportamento cotidiano decorrente dos confortos da vida moderna. Pessoas que tem um gasto calórico reduzido semanalmente pela ausência da prática esportiva são consideradas sedentárias ou com hábitos sedentários.

  • Obesidade
    • Geralmente, a obesidade resulta da ingestão de mais calorias do que as calorias queimadas por exercícios físicos e atividades diárias normais.
      Uma pessoa está obesa quando o índice de massa corporal (IMC) dela é de 30 ou mais. O sintoma principal é o excesso de gordura corporal, o que aumenta o risco de problemas de saúde graves.

  • Hereditariedade,
    • Em genética, hereditariedade é o conjunto de processos biológicos que asseguram que cada ser vivo receba e transmita informações genéticas através da reprodução. A informação genética é transmitida através dos genes, porções de informação contida no DNA dos indivíduos sob a forma de sequências de nucleótidos.

  • Malformações Congênitas,
    • As Malformações Congênitas (MC) podem ser definidas como anomalias funcionais ou estruturais, presentes no nascimento ou que se manifestam em etapas mais avançadas da vida, decorrentes de fatores que precedem ao nascimento, sejam genéticos, ambientais ou desconhecidas, sendo entre as doenças com componente genético preponderante, as multifatoriais responsáveis por grande parte das MC e por muitos problemas comuns da vida adulta. No Brasil, as MC constituem a segunda causa de mortalidade infantil, determinando 11,2% destas mortes, sendo o sistema cardiovascular o mais afetado, associado, ou não, a outras malformações.

  • entre outros.

O que se sabe é que há uma diminuição da Circulação do Disco, que desidrata (perde água), reduzindo sua capacidade de absorção do impacto, tornando-se quebradiço e, consequentemente, empurrando o ligamento longitudinal anterior para a região posterior, causando uma compressão das raízes nervosas ou até da medula.

Como Tratar de uma Hérnia de Disco? – Saiba Mais

Quando a hérnia é pequena e não causa compressão significativa, chamamos de protrusão.

Já quando apresenta maiores proporções, mas não ultrapassa o ligamento longitudinal anterior, chamamos de hérnia contida.

A hérnia extrusa é aquela que ultrapassa os limites do ligamento, apresentando fragmento de disco no canal medular.

Tratamento – Como Tratar de uma Hérnia de Disco

Hérnia de disco – Como Tratar?

Todos os tratamentos conservadores (não cirúrgicos) existentes no mercado não tratam a causa, mas sim as consequências, ou seja, a dor causada pela hérnia. Consequentemente,

  • Fisioterapia,
  • Hidroterapia,
  • Acupuntura,
  • Anti-inflamatórios,
  • Analgésicos,
  • Massagem,
  • Pilates ou
    • Infiltrações,

servem para o Tratamento da Dor do paciente, mas não conseguem extrair a Hérnia de Disco.

O que ocorre é que os tratamentos eliminam a crise dolorosa, mas não Curam a Hérnia de Disco, onde o paciente pode apresentar novas crises dolorosas. Isto não quer dizer que toda hérnia de disco deve ser operada. Tratamentos alternativos devem ser considerados antes de uma cirurgia.

As indicações de cirurgia são: presença de lesão neurológica evolutiva e dor intratável, ou seja, a indicação da Cirurgia é feita pelo próprio Paciente, pois só ele sabe o quanto a Hérnia está Incomodando a sua vida diária.

 Infiltrações Peri-durais ou Facetárias

Apesar de não ser um tipo de cirurgia, trata-se de um método invasivo, utilizando-se agulhas longas, como a para bloqueios anestésicos, realizadas no centro cirúrgico. São amplamente utilizadas, mas de eficácia temporária, pois a durabilidade depende do tempo de ação da droga injetada (anestésicos – poucas horas / corticóides – alguns dias), além dos efeitos colaterais com o uso prolongado destes medicamentos.

Nucleoplastia

Este método é indicado apenas para hérnias contidas, uma vez que nas extrusas pode ocorrer queimaduras na medula, já que há comunicação com a mesma. Pode ser realizado por meio de radiofreqüência ou laser. Consiste em introduzir uma agulha no interior do disco, disparando-se o laser ou a radiofrequência. Isto causaria uma desintegração local, com pressão negativa no disco, levando a uma redução da hérnia.

Este Método é Rápido e Seguro, se realizado por cirurgião de coluna experiente, onde se utiliza anestesia local, porém apresenta baixo nível de eficácia (cerca de 30%).

Artroscopia e Laser

Conhecido também como discectomia percutânea, é indicado em caso de hérnias lombares foraminais, onde é realizado o procedimento de a introdução de uma cânula na região lateral da coluna, eliminando o disco com o uso de laser Holmium, sob anestesia local e uma sedação leve, com a desvantagem de ser uma cirurgia mais longa (duas a três horas), com o paciente permanecendo acordado.

Discectomia por via aberta

Pode ser realizada através de aparelho fechado (Destandeau), microdiscectomia (com microscópio) ou aberta, trata-se de um procedimento que dura cerca de 40 minutos, indicado para as hérnias discais contidas centrais e laterais grandes ou nas hérnias extrusas.

Artroplastia

Utilizadas tanto na Coluna Cervical, como na Lombar, é um método recente, que foi introduzido no Brasil em 2002. Consiste na troca do disco degenerado por um disco artificial, onde a vantagem é a de preservar o movimento local, contra-indicada em pacientes com artrose facetária, estenose do Canal Medular (estreitamento), instabilidades (espondilolistese e retrolistese), processos infecciosos anteriores e idade avançada (mais de 65 anos).

Artrodese

É quando se realiza a fusão da coluna, geralmente por meio de materiais de osteossíntese que variam de acordo com a qualidade do osso da coluna operada.  A artrodese da coluna depende do fator instabilidade. O melhor exame é a radiografia dinâmica (flexão, extensão, lateral direita e esquerda), pois aponta qualquer desalinhamento da coluna. Outra indicação de artrodese é consequente à agressão que é empregada no tratamento cirúrgico da patologia da coluna.

Em pacientes com estenose ou estreitamento do canal, seja esta de origem ligamentar, tumoral, óssea ou degenerativa, há necessidade de grande resseção de elementos da coluna para descompressão da medula ou cauda equina, atingindo geralmente as facetas articulares, o que leva à instabilidade, tornando a artrodese necessária. Outra indicação de artrodese ocorre nas escolioses, para manutenção da correção da curva. Hérnia de Disco – Como tratar?

Compartilhar: