Desvio de Coluna ou Má postura – Saiba Mais

Os desvios da coluna podem ser naturais (fisiológicos) ou anormais (patológicos). Quando observamos uma pessoa de lado, a coluna cervical apresenta uma lordose fisiológica, ou seja, um desvio natural. A coluna torácica apresenta cifose e a coluna lombar, lordose. A graduação varia em cada indivíduo, mas em geral varia de vinte a quarenta graus. Quando olhamos uma pessoa de frente ou de costas, a coluna não apresenta desvios.

 

Desvio de Coluna ou Má postura – Saiba Mais

A escoliose é um desvio lateral na coluna vertebral, cujas causas variam com patologias diversas. As mais comuns serão descritas a seguir.

A escoliose idiopática ou de causa desconhecida, é a mais comum e pode ocorrer na infância, puberdade ou na adolescência, cujo desvio geralmente piora nas fases de estirão de crescimento. Qualquer desvio lateral é patológico, porém nem sempre necessita de tratamento. Como regra geral, até 20 graus requer tratamento fisioterápico, devendo ser feito um acompanhamento radiográfico semestral. De 20 a 40 graus, é necessário o uso de colete, cujo tipo varia com o nível da curvatura (TLSO, Milwalkee, outros), podendo ainda ser realizado conjuntamente o RPG (reeducação postural global), além de exercícios de alongamento e/ou natação.

Acima de 40 graus, há indicação de tratamento cirúrgico, principalmente se o paciente ainda apresenta potencial de crescimento, realizando-se a artrodese ou fusão da coluna nos segmentos em que a curva ocorre, implantando-se hastes metálicas longas de aço ou titânio, acopladas a ganchos e parafusos pediculares, corrigindo a escoliose. Trata-se de cirurgia bastante complexa, com internação prolongada (cerca de uma semana).

 

Desvio de Coluna ou Má postura – Escoliose Congênita

A escoliose congênita é causada por deficiência de formação das vértebra, divididas em defeitos de formação (hemivértebra) ou de fusão (barra óssea). Quando a escoliose congênita é complexa, ou seja, quando apresenta múltiplas deformidades das vértebras, geralmente é de melhor evolução.

A deformidade depende da deficiência e da quantidade de vértebras acometidas. Uma única hemivértebra causa pequena deformidade, mas várias delas do mesmo lado da coluna podem causar grande deformidade, necessitando de tratamento cirúrgico. A pior deficiência é a barra óssea, de alto poder deformante, necessitando muitas vezes de cirurgia precoce, com fusão sem instrumental cirúrgico.

 

Desvio de Coluna ou Má postura – Escoliose Neuro-musculares

As escolioses neuro-musculares, como na paralisia cerebral, apresentam-se com curvas longas e, quando necessária uma cirurgia, realiza-se a fusão de um número maior de vértebras, com uma cirurgia mais complexa.

As escolioses encontradas no adulto geralmente são de tratamento clínico, causando poucos sintomas dolorosos, exceto quando a deformidade é muito grande, cujo tratamento é feito para melhora dos sintomas. Quando a deformidade é grande (acima de 40 graus), ocorre uma sobrecarga no lado côncavo da curva, podendo levar a um processo de artrose precoce (desgaste da articulação), acarretando dor local, de tratamento clínico, podendo estar indicada até a cirurgia para evitar progressão da curva, bem como para aliviar os sintomas dolorosos vindos desta artrose.

 

Há ainda outros tipos de escolioses, causadas por outras patologias, como a Síndrome de Marfan, a neurofibromatose, etc., onde o tratamento depende da evolução de cada paciente.

 

Leave a reply