Escoliose e Dor - Quem Tem Escoliose Sente muita Dor?

Escoliose e Dor – Quem Tem Escoliose Sente muita Dor?

Escoliose e Dor. O nível de dor da escoliose difere de pessoa para pessoa. Os principais fatores que afetam a dor são a idade e a gravidade da condição. Em alguns casos, a dor relacionada à escoliose pode se expressar em outras áreas do corpo que não as costas.

Felizmente, existem tratamentos específicos para escoliose, que produzem resultados notáveis. Continue a leitura deste artigo e saiba mais.

Escoliose e Dor

Embora muitos considerem a escoliose uma condição indolor, aqueles com um diagnóstico podem discordar. Independentemente da sua idade e nível de gravidade da doença, viver com escoliose é um desafio. Embora o diagnóstico de escoliose não seja algum tipo de sentença médica, muitos aspectos da vida podem ser afetados.

Adolescentes e Dor

A idade de um paciente tem um grande impacto sobre a dor da escoliose. A escoliose idiopática do adolescente é a forma mais comum da doença, sendo responsável por 80% dos casos diagnosticados.

Aproximadamente 20 por cento dos adolescentes relatam um pouco de dor nas costas. Isso é entendido como resultado do movimento de alongamento da coluna durante o crescimento. Entre 10 e 18 anos é a idade mais comum para o diagnóstico e, como a puberdade ocorre nessa fase, o crescimento é um fator importante.

À medida que uma pessoa cresce, sua coluna se alonga; isso significa ausência de compressão, tornando a condição menos dolorosa para os adolescentes do que para os adultos.

Adultos e Dor

Embora a escoliose seja mais comum em adolescentes, os adultos também sofrem com a doença. Além disso, muitos casos são adolescentes que não foram diagnosticados e envelheceram com a condição sem tratamento até a idade adulta.

A maioria dos casos de escoliose adulta tem uma das seguintes causas: degenerativa, traumática ou patológica. À medida que os adultos param de crescer, a curvatura causa compressão da coluna vertebral e dos tecidos e nervos circundantes; isso pode causar dor e desconforto.

Em muitos casos, os pacientes adultos sentem dor em outras áreas além das costas, como pés, joelhos, quadris, pernas, pescoço e dores de cabeça; esses efeitos são sentidos por causa do desalinhamento da coluna vertebral na parte inferior do corpo.

Na maioria dos casos, quanto mais tempo um paciente vive com sua condição, mais provável é que a dor aumente ou se torne um fator.

Gravidade da Condição

Para adolescentes e adultos, a gravidade de sua condição desempenha um papel nos sintomas que experimentam.

A escoliose tem três níveis de gravidade: leve, moderada e grave. Os níveis de gravidade são determinados pelo tamanho da curvatura. Isso é determinado por meio de um raio-X e uma medição conhecida como ‘ângulo de Cobb’. O ângulo de Cobb mede o quanto uma coluna torta se dobra e se torce em relação a um alinhamento reto.

Quanto mais grave for a curvatura da coluna vertebral, maior será a probabilidade de o paciente sentir dor juntamente com outros sintomas.

Soluções para Dor da Escoliose

Se a dor é um fator importante na experiência do paciente, nós a abordamos com planos de tratamento como exercícios e alongamentos.

Exercício

O exercício tem inúmeros benefícios para a saúde e o bem-estar em várias áreas da vida. Quando se trata de controle da escoliose, os exercícios têm um papel vital. Corpos que experimentam movimento regular são mais adaptáveis ​​e flexíveis e são mais capazes de lidar com os rigores da condição.

Corpos que são mais flexíveis não sentem a rigidez e a dor relacionada e o desconforto que as pessoas com problemas de mobilidade experimentam. Em geral, os pacientes que praticam exercícios têm melhores sistemas musculoesqueléticos e músculos mais fortes.

Outro equívoco comum sobre a escoliose é que a condição leva à imobilidade. Embora possa haver algumas restrições à atividade física em uma deformidade da coluna vertebral como a escoliose, os exercícios podem ajudar a neutralizar os efeitos da doença.

Exercícios de baixo impacto, como natação, ciclismo e ioga, podem ajudar a reduzir a dor, pois melhoram a saúde geral do corpo e a capacidade de adaptação à curvatura da coluna vertebral.

Alongamento

A acentuação das curvaturas da coluna vertebral causam rigidez, pois os músculos de um lado do corpo tendem a se contrair em resposta à curvatura. Executados corretamente, os alongamentos específicos para escoliose são um meio extremamente seguro e eficaz de manter os músculos ao redor da coluna o mais relaxados possível.

Uma vez que os músculos de compensação são alongados e relaxados, a tensão é aliviada, diminuindo a dor e o desconforto. Converse com o seu fisioterapeuta sobre as práticas que são benéficas para seu caso.

A Importância do Tratamento Conservador

Quando os pacientes recebem o diagnóstico de escoliose, sua principal preocupação é endireitar a coluna e aliviar os sintomas. Embora a cirurgia de fusão espinhal possa ser bem-sucedida em termos de endireitar uma coluna torta, ela não remove necessariamente a dor e não melhora a flexibilidade.

A abordagem conservadora ajuda a restaurar a função, diminuindo a tensão e a dor. Com ajuda da fisioterapia e prática de exercícios, os pacientes com escoliose podem melhorar a capacidade de seu corpo de lidar com a curvatura por meios naturais. Fortalecer os músculos que sustentam a coluna e melhorar a função da coluna produz resultados notáveis.

Alguns pacientes optam por observar passivamente sua condição progredindo até seguirem a recomendação para cirurgia de fusão espinhal, enquanto outros optam por encarar a condição o mais positivamente possível e gerenciar a progressão de sua condição através de um tratamento conservador.

Trabalhar com um especialista em escoliose é a melhor maneira de lidar com a dor relacionada à escoliose, alcançando o equilíbrio perfeito de atividade física, alongamentos e práticas fisioterapêuticas que ajudam a restaurar a função da coluna.

Mais Informações sobre este assunto na Internet:
Compartilhar: