Escoliose Neuromuscular - Sintomas e Tratamento

Escoliose Neuromuscular – Sintomas e Tratamento

A escoliose neuromuscular representa apenas um pequeno segmento do número total de casos de escoliose diagnosticados a cada ano.

No entanto, os distúrbios subjacentes associados a esta forma de escoliose frequentemente resultam em algumas das curvas mais complexas e extensas vistas por cirurgiões ortopédicos pediátricos e apresentam um conjunto único de desafios de tratamento.

Neste artigo, veja mais informações sobre a escoliose neuromuscular, seus sintomas e opções de tratamento.

Escoliose Neuromuscular – Saiba Mais

A escoliose neuromuscular é uma curvatura espinhal irregular causada por distúrbios do cérebro, medula espinhal e sistema muscular. Os nervos e os músculos são incapazes de manter o equilíbrio / alinhamento adequado da coluna e do tronco.

Esta forma de escoliose (curvatura lateral da coluna) resulta da falta de controle muscular causada por uma condição neurológica ou muscular degenerativa, incluindo:

  • Paralisia cerebral;
  • Distrofia muscular;
  • Tumores musculoesqueléticos benignos ou malignos, como sarcoma de tecidos moles.

As curvas neuromusculares são frequentemente associadas à obliquidade pélvica, uma condição em que a pelve da criança é inclinada de forma desigual, com um lado mais alto do que o outro. Em muitos casos, a cifose está presente simultaneamente.

Sintomas

Crianças com escoliose neuromuscular geralmente não sentem nenhuma dor decorrente da doença. A maioria delas, entretanto, apresenta mau equilíbrio e má coordenação do tronco, pescoço e cabeça.

A escoliose neuromuscular pode levar à síndrome da insuficiência torácica e causar dificuldades para sentar-se e para realizar uma higiene adequada.

Assim como na escoliose idiopática, a escoliose neuromuscular é diagnosticada quando há a presença de uma curva na coluna que mede mais de 10 graus.

Em contraste com os pacientes com escoliose idiopática, nos quais o padrão de curva é restrito a segmentos menores da coluna vertebral, as crianças com escoliose neuromuscular desenvolvem curvas extensas em forma de S e / ou C que envolvem toda a coluna, incluindo o sacro.

As curvas vistas em crianças com escoliose neuromuscular também são muito mais propensas a progredir do que aquelas vistas na escoliose idiopática.

Opções de Tratamento

O uso de uma cinta especial e outros tratamentos não cirúrgicos podem ajudar alguns pacientes com problemas de equilíbrio, mas apenas a cirurgia de fusão espinhal pode impedir a progressão da curvatura da coluna.

Tratamento não Cirúrgico

O tratamento não operatório deve ser prescrito e conduzido por uma equipe multidisciplinar para garantir que todas as áreas clínicas recebam o tratamento adequado:

  • Pulmonar;
  • Neurológica;
  • Geniturinária;
  • Ortopédica;
  • Nutricional;
  • Gastroenterológica.

Os tratamentos não operatórios podem incluir:

  • Fixação para curvas menores (a maioria das curvas da escoliose neuromuscular não se beneficia com a órtese);
  • Modificações da cadeira de rodas (para não deambuladores) para melhorar a função;
  • Fisioterapia.

Tratamento Cirúrgico

O tipo de estabilização da coluna depende da idade do paciente, do status ambulatorial e da condição subjacente. Os objetivos cirúrgicos são:

  • Impedir a progressão da curvatura;
  • Melhorar o equilíbrio sentado e a tolerância (em não deambuladores);
  • Reduzir o reposicionamento;
  • Reduzir a dor.

Como este tipo de escoliose resulta de uma condição neuromuscular subjacente, a condição subjacente orienta a estratégia de tratamento.

Complicações

Como a condição está associada a outros distúrbios neuromusculares subjacentes e porque a cirurgia geralmente envolve mais níveis da coluna, a taxa de complicações após a cirurgia é maior do que com alguns outros tipos de escoliose.

O seu médico conversará com você sobre as complicações potenciais e as medidas tomadas antes da cirurgia para evitá-las.

Por exemplo, sua equipe de tratamento trabalhará para maximizar a nutrição e o estado cardiopulmonar antes da cirurgia para minimizar o risco de infecção e a necessidade prolongada de usar o ventilador após a cirurgia.

Da mesma forma, antes da cirurgia, a pele do seu filho na região da coluna e da pelve será totalmente avaliada para minimizar o risco de infecção.

Mais Informações sobre este assunto na Internet:
Compartilhar: