Escolioses Especiais - Conheça os Tipos e Classificações da Escoliose

Escolioses Especiais – Conheça os Tipos e Classificações da Escoliose

Escolioses especiais consistem em casos específicos de Escoliose, que é uma condição caracterizada por uma curvatura lateral anormal da coluna vertebral.

A Escoliose pode ocorrer em diversas formas e gravidades, e as Escolioses especiais são aquelas que apresentam características particulares ou estão associadas a certas condições ou síndromes.

Continue a leitura deste artigo para compreender em que consiste o termo “Escolioses Especiais” e quais são os tipos e classificações da escoliose.

Quais São as Escolioses Especiais?

A Escoliose é uma deformidade da coluna vertebral que consiste em curvatura lateral e rotação das vértebras. As causas da Escoliose variam e são classificadas amplamente como:

Escoliose Neuromuscular

Esta com Dores na Lombar?
Marque sua Consulta com o Ortopedista Hoje mesmo.

Ocorre como resultado de condições neuromusculares, como:

  • Paralisia cerebral,
  • Distrofia muscular,
  • Espinha bífida,
  • Lesões na medula espinhal.

A fraqueza ou o desequilíbrio muscular nesses casos pode levar à curvatura da coluna vertebral.

Escoliose Congênita

É uma condição em que a coluna vertebral se desenvolve de forma anormal durante a gestação. Ocorre em apenas 1 em cada 10.000 recém-nascidos e é muito menos comum do que o tipo de Escoliose que começa na adolescência.

Crianças com Escoliose congênita às vezes têm outros problemas de saúde, como problemas renais ou da bexiga.

Embora a Escoliose congênita esteja presente no nascimento, às vezes é impossível ver qualquer problema de coluna até que a criança atinja a adolescência.

Escoliose Idiopática do Adolescente

O tipo mais comum de Escoliose que ocorre durante a adolescência, sem uma causa clara identificável. A Escoliose idiopática do adolescente não é considerada uma Escoliose especial, mas é importante mencioná-la para fins de comparação.

Aproximadamente 30% dos pacientes com EIA têm algum histórico familiar de Escoliose e, portanto, parece haver uma conexão genética.

Escoliose Associada a Síndromes Genéticas

Algumas síndromes genéticas podem estar associadas ao desenvolvimento de Escoliose. Podemos destacar as seguintes:

  • Síndrome de Marfan,
  • Síndrome de Down,
  • Síndrome de Prader-Willi.

O reconhecimento de influências genéticas na Escoliose está bem documentado. Formas familiares foram descritas já em 1922.

Dado que os fatores genéticos contribuem para o desenvolvimento de Escoliose, a herança autossômica dominante foi sugerida a partir da avaliação de pequenas famílias. No entanto, um modelo de herança multifatorial envolvendo vários genes, interagindo com fatores ambientais desconhecidos é o consenso entre a comunidade médica.

Na realidade, embora possam existir famílias com herança dominante, a Escoliose geralmente é uma doença genética “complexa” que não é facilmente explicada pelos modelos de herança existentes.

Classificação da Escoliose

A Escoliose tem muitas classificações e uma delas é de acordo com as causas. Um breve diagnóstico diferencial está listado no esboço abaixo:

  • Escoliose não estrutural
    • Escoliose postural
    • Escoliose compensatória
  • Escoliose estrutural transitória
    • Escoliose ciática
    • Escoliose inflamatória
  • Escoliose estrutural
    • idiopática (70 – 80% de todos os casos)
    • congênito
    • neuromuscular
      • poliomielite
      • paralisia cerebral
      • siringomielia
      • distrofia muscular
      • amiotonia congênita
      • ataxia de Friedreich
    • neurofibromatose
    • distúrbios mesenquimais
      • Síndrome de Marfan
      • Síndrome de Morquio
      • artrite reumatoide
      • osteogênese imperfeita
      • certos anões
    • trauma
      • fraturas
      • irradiação
      • cirurgia

Diagnóstico e Tratamento

Para diagnosticar a escoliose, o médico fará um histórico clínico detalhado, seguido de um exame físico, em busca de deformidades na coluna. Exames neurológicos e de imagem também poderão ser solicitados.

As curvaturas nos estágios iniciais da doença geralmente são invisíveis a um olhar leigo, exceto quando o indivíduo curva o tronco para a frente e a assimetria entre os dois lados da coluna vertebral torna-se evidente. Por isso, é importante manter em dia os exames de rotina solicitados pelo seu médico, a fim de diagnosticar precocemente qualquer deformidade na coluna – especialmente porque, na maioria dos casos, elas são assintomáticas.

É importante ressaltar que o diagnóstico e tratamento da Escoliose, incluindo as Escolioses especiais, devem ser realizados por profissionais de saúde especializados, como ortopedistas e fisioterapeutas.

O tratamento pode variar dependendo da gravidade e das necessidades individuais de cada paciente, podendo incluir acompanhamento regular, fisioterapia, uso de órteses ou, em casos mais graves, cirurgia corretiva da coluna vertebral.

Mais informações sobre este assunto na Internet:
Acabe Com suas Dores nas Costas!
Agende uma Consulta agora com Cirurgião da Coluna.