Dor nas Costas – Porque Temos?

Dor nas Costas – Porque Temos?

A dor nas costas ou coluna, principalmente na região lombar, chamada de lombalgia, atinge cerca de 90% da população. É geralmente causada por vida sedentária e pela má postura diária, principalmente porque passamos grande parte do tempo na posição sentada (cerca de 14 horas diárias).

Neste artigo, compreenda as causas para a dor nas costas, seu diagnóstico e tratamento.

Dor nas Costas – Porque Temos?

Uma minoria dos 90% citados apresenta algum tipo de patologia na coluna, ou seja, a maioria apresenta dor nas costas de origem muscular, cujo tratamento clínico consiste em analgésicos, anti-inflamatórios e calor local.

Quando a dor persiste por mais tempo, medicamentos mais potentes podem ser utilizados, além de fisioterapia e acupuntura.

Em relação aos tratamentos baseados em massagem, estes devem ser realizados com cuidado, evitando-se grandes manipulações.

Nem sempre são necessários exames para o diagnóstico: um bom exame físico na maioria das vezes é suficiente.

Diagnóstico

Seu médico examinará suas costas e avaliará sua capacidade de:

  • Sentar;
  • Levantar;
  • Andar;
  • Levantar as pernas.

Seu médico também pode pedir que você avalie sua dor em uma escala de zero a 10 e fale com você sobre o quão bem você está vivendo (realizando suas tarefas cotidianas normalmente) com sua dor.

Essas avaliações ajudam a determinar de onde vem a dor, quanto você pode se mover antes que a dor force você a parar e se você tem espasmos musculares. Eles também podem ajudar a descartar causas mais graves de dor nas costas.

Se houver motivos para suspeitar de uma condição específica que esteja causando dor nas costas, seu especialista médico poderá solicitar exames para um melhor diagnóstico.

Exames para Dor nas Costas

Podemos estar diante de alguma patologia da coluna, quando a dor vem acompanhada por:

  • Irradiação para os membros;
  • Parestesia (ou formigamento);
  • Diminuição de força dos membros.

Ou ainda quando a dor é persistente, aumentando tanto na intensidade como no seu prolongamento. Para tanto, são necessários exames subsidiários para alcançar um diagnóstico preciso e realizar um tratamento adequado.

Radiografia Simples

A Radiografia Simples é o primeiro exame a ser realizado, que pode apontar:

  • Desvios (Escoliose ou Cifose);
  • Escorregamentos Antero-Posteriores;
  • Espondilolistese;
  • Escorregamentos Laterais;
  • Alterações nas Alturas dos Discos;
  • Sinais de Artrose nas Facetas Articulares;
  • Osteoporose.

Tomografia Computadorizada

A tomografia computadorizada serve para observarmos principalmente a parte óssea, complementando a radiografia, onde se faz diagnóstico de hérnias discais, tumores ósseos ou artrose das articulações (facetas).

Ressonância Nuclear Magnética

A ressonância nuclear magnética é um exame hoje bem corriqueiro, onde se observam detalhes em:

  • Nervos;
  • Discos Intervertebrais;
  • Vasos;
  • Músculos.

Ou seja, as partes moles do organismo, porém apresenta menor especificidade para observar as partes ósseas da coluna, que são melhor visualizadas pela tomografia computadorizada.

Na ressonância observarmos bem as condições do disco, no caso de uma hérnia, determinando com precisão se é necessária cirurgia, bem como o método cirúrgico a ser utilizado.

Outros exames utilizados no diagnóstico de patologias da coluna são:

  • Exames de sangue;
  • Cintilografia óssea (tumores ou infecções);
  • Eletroneuromiografia (apenas quando se suspeita de lesão nervosa);
  • Mielografia (principalmente em colunas já operadas);
  • Biópsia (tumor).

Quando a Dor nas Costas é uma Emergência Médica

  • Dor intensa em vez de incômoda: isso pode indicar um músculo ou ligamento rompido, ou um problema com um órgão interno nas costas ou na lateral.
  • Dor irradiada: essa dor “se move” ou atinge os glúteos ou as pernas, o que pode indicar uma condição de compressão nervosa.
  • Fraqueza súbita nas pernas: a fraqueza dos membros pode ser causada por nervos comprimidos na coluna devido a condições como hérnia de disco ou estenose do canal.
  • Incontinência (rara): a dor nas costas associada à incapacidade de controlar os intestinos ou a bexiga pode ser um sinal de compressão nervosa grave ou infecção da coluna vertebral, como discite ou meningite.
  • Dormência ou sensação de alfinetes e agulhas na virilha ou nos glúteos: isso pode ser um sinal de uma condição séria dos nervos da coluna.

Se você tem fraqueza nas pernas, incontinência e dormência ao mesmo tempo, pode ter síndrome da cauda equina, uma doença grave caracterizada por lesão dos nervos da medula espinhal.

Esta é uma emergência médica e os pacientes geralmente precisam de cirurgia imediata para descomprimir os nervos e reduzir as chances de danos permanentes.

Tratamento das Diversas Condições da Coluna

A realização das diversas cirurgias da coluna depende diretamente do diagnóstico. Em caso de dúvidas, marque uma consulta com seu cirurgião de coluna de confiança.

Artigo Publicado em: 16 de janeiro de 2019 e Atualizado em: 30 de abril de 2021

Compartilhar: