Radiculopatia Cervical - Causas, Sintomas e Tratamento

Radiculopatia Cervical – Causas, Sintomas e Tratamento

A radiculopatia cervical é a descrição clínica de quando uma raiz nervosa na coluna cervical fica inflamada ou é danificada, resultando em uma alteração na função neurológica.

Os déficits neurológicos, como dormência, reflexos alterados ou fraqueza, podem irradiar-se do pescoço para o ombro, braço, mão ou dedos. O formigamento e / ou dor sentida como picadas de alfinetes e agulhas, que pode variar de dor a choque ou queimação, também pode irradiar para o braço e / ou mão.

Neste artigo, saiba mais sobre a radiculopatia cervical, suas causas, sintomas e formas de tratamento.

Raízes do Nervo Cervical e Radiculopatia

Existem 8 pares de raízes nervosas cervicais, numeradas de C1 a C8, na coluna cervical. Essas raízes nervosas se ramificam da medula espinhal e saem de ambos os lados do canal vertebral através de um forame intervertebral (pequena abertura óssea entre as vértebras adjacentes).

Esses nervos cervicais se ramificam ainda mais para fornecer impulsos nervosos aos músculos, o que permite o funcionamento dos ombros, braços, mãos e dedos. Eles também carregam fibras sensoriais para a pele que proporcionam sensação.

Causas

As causas mais comuns de radiculopatia cervical são:

  • Quando uma raiz nervosa fica inflamada ou danificada devido a um esporão ósseo próximo;
  • Hérnia de disco cervical;
  • Degeneração espinhal ao longo do tempo;
  • Lesão.

Muitas outras causas menos comuns de radiculopatia cervical são possíveis, como infecção ou tumor.

O mecanismo exato de irritação ou dano do nervo nem sempre é compreendido na radiculopatia cervical. Acredita-se que os processos químicos relacionados à inflamação causem mais comumente danos à raiz nervosa que resultam em radiculopatia, em vez de um choque mecânico verdadeiro da raiz nervosa.

O Curso da Radiculopatia Cervical

A radiculopatia cervical é uma condição que ocorre com um pouco mais de frequência em pessoas mais velhas devido à degeneração espinhal, com algumas estimativas colocando o risco mais alto entre as idades de 50 a 54 anos. Quando a radiculopatia cervical ocorre em pessoas mais jovens, é mais provável devido a hérnia de disco ou lesão.

Os sinais e sintomas da radiculopatia cervical costumam aparecer de forma intermitente no início – indo e vindo -, mas também podem se desenvolver repentina ou gradualmente.

Alguns movimentos ou posições da cabeça, como colocar o pescoço em extensão (com a cabeça para trás), podem exacerbar os sintomas em alguns casos.

Tratamento

A maioria dos casos de radiculopatia cervical é autolimitada e desaparece por conta própria.

Nos estágios iniciais, a maioria das recomendações é tentar uma combinação de um ou mais tratamentos, como repouso ou modificação da atividade, fisioterapia, gelo e / ou terapia térmica.

Em casos raros, a radiculopatia cervical pode continuar a progredir com dormência e / ou fraqueza piorando apesar dos tratamentos.

Quanto mais tempo durar a dormência e / ou fraqueza no ombro, braço ou mão, maior a probabilidade de esses déficits se tornarem permanentes ou levar à paralisia.

Quando os tratamentos não cirúrgicos falham em controlar adequadamente os sintomas e a compressão do nervo é confirmada, pode ser necessário considerar a cirurgia para descomprimir o nervo.

Quando a Cirurgia é Considerada

Se os tratamentos não cirúrgicos não estiverem proporcionando alívio da dor da radiculopatia cervical, ou se os sintomas neurológicos de dormência e fraqueza nos braços ou mãos continuarem a progredir, a cirurgia pode ser considerada.

As cirurgias de Discectomia cervical anterior e fusão ou a Substituição por um disco artificial são abordagens eficazes para reduzir a dor / dormência nas mãos e braços.

Como em qualquer cirurgia, existem alguns riscos que primeiro precisam ser discutidos com o cirurgião. Também é importante perguntar sobre o que esperar dessa cirurgia em relação ao período de recuperação.

Referência: University of Maryland Medical Center

Compartilhar: