Pé Caído: o que Isso Tem a Ver com a Coluna Vertebral?

Pé Caído: o que Isso Tem a Ver com a Coluna Vertebral?

Pé Caído. A queda do pé refere-se a uma condição que faz com que a perna arraste a frente do pé enquanto caminha. Pode causar perda de equilíbrio e criar dificuldade ao caminhar sem assistência.

Neste artigo, conheça as causas e fatores de risco para o pé caído e como tratar este sintoma, quando está relacionado a algum problema na coluna vertebral.

Em que Consiste o Pé Caído?

A queda do pé não é uma doença em si, mas sim um sintoma de um distúrbio neuromuscular, ou seja, de uma condição que afeta os músculos e/ou os nervos.

Um dos sinais mais óbvios de queda do pé é uma “marcha em passos altos”, onde o paciente dobra o joelho da perna afetada mais alto que o outro enquanto está em movimento, para permitir que o pé levante alto o suficiente para dar um passo.

Um teste fácil para determinar a presença de pé caído é tentar andar sobre os calcanhares; se isso não for possível, a queda do pé pode ser a causa.

Causas

A causa mais comum é a compressão de um nervo na perna que controla os músculos envolvidos no levantamento do pé (nervo fibular). Este nervo também pode ser ferido durante a cirurgia de substituição do quadril ou joelho, o que pode causar queda do pé.

Uma lesão na raiz nervosa – “nervo comprimido” – na coluna também pode causar queda do pé. Se uma hérnia de disco lombar for a causa, a queda do pé pode se resolver se o disco melhorar. Mas se o problema persistir ou piorar, as complicações relacionadas ao pé seguirão o mesmo curso, e as opções cirúrgicas podem precisar ser discutidas com seu médico.

Existem outras condições além da hérnia de disco lombar que podem levar à queda do pé:

  • Estenose espinhal lombar. Na presença de esporões ósseos, problemas nas articulações ou estreitamento do canal espinhal, pode ocorrer compressão que afeta as raízes nervosas à medida que saem da abertura da coluna. Esta condição leva a dor e outros sintomas. Um desses sintomas, se o nervo afetado for o fibular, pode ser o pé caído.
  • Espondilolistese. Quando uma vértebra desliza para a frente sobre outra, pode ocorrer um nervo comprimido. Dependendo do nervo afetado, os sintomas podem viajar até o pé e levar à queda do pé.
  • Fraturas ou lacerações ósseas. Qualquer tipo de ruptura ou lesão nas vértebras da região lombar pode estressar ou inflamar os nervos circundantes e causar dor. Também pode criar o problema de queda do pé.

Fatores de Risco

Ocupações como em colheita ou trabalhos que exijam agachamento prolongado, como colocar pisos ou azulejos, podem causar queda do pé devido à compressão do nervo.

Posturas habituais, como cruzar as pernas regularmente, podem levar à compressão do nervo fibular próximo ao joelho e é um fator de risco para queda do pé.

Tratamento

O tratamento para a queda do pé depende da causa. Se a causa for tratada com sucesso, a queda do pé pode melhorar ou desaparecer completamente. O tratamento para queda do pé pode incluir terapia, uso de órtese ou cirurgia.

Exercícios que fortalecem os músculos das pernas e ajudam a manter a amplitude de movimento do joelho e do tornozelo podem melhorar os problemas de marcha associados à queda do pé. Os exercícios de alongamento são importantes para evitar a rigidez no calcanhar ou o encurtamento do tendão.

Se a fraqueza for devido à compressão da raiz nervosa na coluna lombar, muitas vezes uma cirurgia pode ser realizada para abrir o espaço onde o nervo deixa a coluna (o forame espinhal) removendo uma hérnia de disco (microdiscectomia), abrindo esse forame (foraminotomia), ou em casos mais complexos, uma combinação desses procedimentos.

A queda do pé pode causar incapacidade leve a grave e pode estar associada a dor e outros sintomas. A perspectiva de longo prazo é geralmente favorável e depende da gravidade e do tipo da causa. Se houver suspeita de queda do pé, é aconselhável consultar um profissional médico imediatamente para tratamento imediato.

Mais Informações sobre este assunto na Internet:
Compartilhar: